Canto pá Quentá tem 3º ato neste fim de semana

Canto pá Quentá tem 3º ato neste fim de semana

Canto pá Quentá tem 3º ato neste fim de semana

Celebrando a natureza em tudo que somos, nossos rios, mares, pedreiras e matas, nasceu a ideia do Ato Canto pá Quentá, evento que chega a sua terceira edição neste fim de semana. Serão três encontros, todos em locais diferentes. No sábado, 30, tem oficina “Mulheres que dão no couro”, com a mestre em tambor de crioula do Maranhão, Carla Coreira e tem show “Por Consolação” do compositor multi-instrumentista, Itaercio Rocha. No domingo,1, haverão brincadeiras indígenas com as mulheres da Aldeia Tekoa Takuaty; Canturiás do Tátá e roda de tambor de crioula.

canto pa quentá puta peita

A Cantarim, produtora dos atos, realizou uma rifa, que teve peita Lute como uma garota. na versão guarani como uma das premiações. Mas quem pode explicar melhor a essência do projeto é a diretora, Jéssica Quadros:

“A proposta é evocar a alegria de navegarmos juntos e agir em nosso pleno exercício de ser em presença, poesia e potência.

Nos preparando para esta ação, também de renovação do ciclo da segunda edição que este ano nos conectou e cantou em Alvorada ao Divino, que em primavera guiados pelo contato em corpo, encontro e canto, firmando e reconhecendo a importância do Brincar com Coragem - Nhanheovanga Mbaraete.

O chamado para esta festa vem pelo canto de Itaercio Rocha, que trouxe do Maranhão um calor que vibra nos ares e poros de Curitiba, ressoando e irradiando nesses 40 anos de carreira em um legado que se perpetua em suas criações, em agentes e ações que emergem desse encontro e resistem.

itaercio rocha


Segura o leme, solta a vela, sopra o vento! Que assim, fortalecendo vínculos com nossa memória ancestral e referências da nossa identidade é que teremos fôlego para o constante reviver, como coletivo e comunidade.

Canto indispensável nessa mobilização que se faz em voz, toque, dança, sagrado e profano - o convite à punga é de Carla Coreira, que com ela traz os fundamentos, história, toques, toadas do Tambor de Crioula do Maranhão e outras manifestações deste estado tão potente em riqueza e diversidade cultural do nosso país.

 

tambor de crioula

Engrandecendo a festa em conexão profunda com as nossas raízes, língua e terra-mãe - de Paranaguá a Aldeia Mbya Guarani Tekoa Takuaty retoma brincadeiras transmitidas pela oralidade através das gerações nas comunidades cultivando a permanência da tradição e valorização dos saberes ancestrais para o desenvolvimento da comunidade e das Kyringue, Xondaro e Xondaria.

Canto pá Quentá emerge de uma mobilização coletiva e independente, reunindo artistas, pesquisadores, educadores, agentes culturais e empreendedores em prol da realização desse movimento que propicia um aprendizado mútuo entre os saberes e fazeres de diferentes gerações e incentivo da participação de novos agentes em atividades e iniciativas que envolvem as culturas e as manifestações populares através da cooperação, partilha e celebração.

 

( • )  Mulheres que dão no couro

A oficina é uma iniciativa da brincante e difusora cultural, Carla Belfort, popularmente conhecida como Carla Coreira, que promove um espaço para as mulheres de aprendizado e prática do toque e da dança do Tambor de Crioula. Nascida e criada em meio às manifestações da cultura popular do Maranhão, Carla tem levado o Tambor para diversas cidades do país.

Reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2007, o Tambor de Crioula integra as manifestações tradicionais da cultura popular do Maranhão. A brincadeira é uma forma de expressão de matriz afro-brasileira que envolve dança circular feminina, canto e percussão de tambores. Dela participam as coreiras, conduzidas pelo ritmo intenso dos tambores e pelo influxo dos cânticos ou toadas evocadas por tocadores e cantadores, culminando na punga ou umbigada – movimento entendido como saudação e convite.

 

( • ) SERVIÇO


Oficina “Mulheres que dão no couro com Carla Coreira
data: 30/11
hora: 9h às 15h
local: Sociedade Operária Beneficente 13 de Maio - R. Des. Clotário Portugal, 274
valor: R$70

Itaércio Rocha “Por Consolação”
data: 30/11
hora: 18h
local: Terraço Verde - Cobertura - R. Itupava, 1299
ingresso consciente.

Festerê do Canto
data: 1/12
hora: 13h30 às 18h
local: Praça João Cândido - São Francisco.
Programação:
13h30 - Brincadeiras indígenas
14h30 - Canturiás do Tatá com Itaércio Rocha
15h00 - Roda tambor de crioula

 

( • ) 
peita.me
@putapeita
/putapeita

0 comentários

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados