Férias e o autocuidado feminista

“Cuidar de mim mesma não é autoindulgência, é autopreservação, um ato de luta política”Audre Lorde



2019 foi um ano bem pesado, né? 

Começamos ele assistindo a um fascista ocupar o cargo mais alto do país, cercado de seus bobos da corte empenhados em defender o interesse de grandes empresários e milicianos. A partir daí, foi ladeira abaixo. As taxas de violência e intolerância explodiram. E nós estávamos ali, resistindo juntas. Sempre juntas. 


As taxas de violência do último ano são alarmantes. Existem mais de 200 nações neste mundão de minha Deusa e o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de países que mais matam mulheres. ISSO MESMO, O BRASIL É O 5º PAÍS QUE MAIS MATA MULHERES EM TODO O PLANETA TERRA! E ⅔ delas são negras. Sim, temos sérios problemas de gênero, raça e classe, mas pouco se fala da feminilização da pobreza. Mulheres negras, indígenas, lésbicas, estrangeiras abandonadas à própria sorte, precisando fugir e sobreviver ao Estado genocida que mata suas crianças.    


Também em 2019 alcançamos a maior taxa de estupro dos últimos 10 anos: 180 por dia. 54% tinham até 13 anos e 73% dos abusadores são da família ou conhecidos. Não é só isso, também somos o país que mais mata pessoas trans. Primeiríssimo lugar em pre-con-cei-to, intolerância e desigualdade.



2019 foi um ano bem intenso, né? 

Quanta coisa aconteceu nesses 359 dias, hein? Não só no mundo ou no Brasil, mas na sua vida. Você já parou pra pensar em tudo que enfrentou neste ano? Não só as lutas diárias, mas principalmente as batalhas internas? Ser mulher não é fácil. Ser você, não é fácil. Às vezes falta tempo pra gente. Não pode. Como vamos cuidar das outras pessoas se não estamos bem psicologicamente? 


Sim, você pode e deve se abater. A gente não ganha sempre. Está tudo bem pedir licença da luta a hora que for pra organizar o que está sentindo, para acolher a sua dor. E sua alegria também, não é só de militância e tristezas que nós vivemos. Curtir a vida também faz parte do processo de autocuidado. Descanse. 


Aproveite o final do ano para relaxar. A gente até pensou em propor um exercício: coloque no papel todas as lutas e vitórias de 2019, mas não, descanse. Ano que vem a gente traça um panorama do 2020, debate com as amigas ações e encaminhamentos para o que está por vir. Por hora, só descanse. Precisamos estar inteiras para o que está por vir. A luta não para nunca. 


“Se não posso dançar, não é minha revolução.” Emma Goldman

 

Ps: Entramos em processo de autocuidado e reorganização interna, também chamado de férias, e dia 13 de janeiro estamos de volta. 

 

Ps 2: Se tiver alguma dúvida sobre seu pedido, é só logar seu perfil em nosso site. ;)


Foto: Luciano Meirelles

 

( • ) 
peita.me
@putapeita
/putapeita

Deixe um comentário